Skip to content Skip to footer

Edição 3

Edição 3

O apartamento mais lindo de São Paulo, cabelos longos e bagunçados e ainda um destino desejo. Vem ver!

Esta semana foi bem animada: circulei bastante, vi coisas lindas, encontrei pessoas que gosto muito. Reforcei também a importância de celebrar a vida -cada vez que a gente perde alguém próximo essa reavaliação é necessária. Vamos em frente.

O apartamento mais lindo de São Paulo. (Créditos: Joyce Pascowitch)

Refazendo

Fui conhecer sábado passado acho que o apartamento mais lindo desta cidade inteira: o do arquiteto Isay Weinfeld, meu amigo pessoal desde a minha adolescência. Fui, não, fomos: Giovanni Bianco, diretor de arte e também meu grande amigo, e eu. Somos uma trinca e sempre nos encontramos para muita troca, muitas risadas e conversas animadas. Pois bem: Isay já morava no mesmo prédio em um duplex de cobertura mas resolveu simplificar sua vida já que viaja muito por conta de projetos no mundo todo – Estados Unidos, Europa, Ásia, Caribe. Ele resolveu vender o andar de baixo e se instalou no andar de cima, depois de uma reforma para realinhar suas necessidades e desejos. Ficou tudo mais enxuto e mais elegante ainda do que o anterior, que já era lindo: muita madeira escura agora, objetos, obras de arte e detalhes que só ele consegue reunir. Um sonho…

O susto de Francisco Costa (Crédito: Divulgação / Instagram)

A volta do cipó

Bem agora que a Costa Brazil, marca de produtos de beleza do estilista Francisco Costa, responsável pela Calvin Klein durante anos gloriosos, estava sendo vendida por aqui, na Sephora, a empresa que fabricava e distribuía os produtos pelo mundo, a Amyris Inc., entrou com um pedido de falência nos Estados Unidos. Eu fiquei bem triste, já que acompanhei toda a pesquisa feita por ele, quando ia pessoalmente para a Amazônia em busca de essências para seus os óleos, sabonetes, perfumes e cremes. Ele desenvolveu uma marca super sustentável e com propósito. No comunicado da última semana, a Costa Brazil diz que essa é uma pausa e que em breve saberemos as cenas dos próximos capítulos. O que a gente já sabe é que a marca está em busca de um novo dono investidor e que tem gente interessada. Na torcida por aqui.

Inscreva-se na newsletter



A vida é sonho

Além das Dolomitas, que eu comentei semana passada, há outro lugar na lista de destinos que quero conhecer já: Lençóis Maranhenses. E parece que não sou só eu, não…. Está virando tendência: muita gente está indo pra lá. Tem até uma turma comprando fazendas e construindo casas para temporada entre as dunas e lagoas paradisíacas. Uma dessas casas é a OIÁ, que fica na cidade de Santo Amaro e tem design de interiores da arquiteta Marina Linhares. Parece sertão, parece praia, tem árvores, tem areia, tem água fresca e um dos visuais mais bonitos do Brasil. Ai ai…

Amém

Era só o que faltava! A gente descobriu um rabino que está indo além dos limites da moda e da tradição em Nova York, bem entendido. Yosel Tiefenbrun é um rabino-alfaiate que estudou na tradicional Savile Row de Londres, referência internacional quando se fala em alfaiataria masculina, e que agora está chamando a atenção no Brooklyn. Seu ateliê leva seu sobrenome e fica em East Williamsburg, onde tudo é moderno e extremamente descolado mas também reduto de muitos judeus religiosos. Como um bom rabino, ele consegue misturar essa modernidade com o clássico. Yosel tem uma clientela que busca expressar identidade religiosa ao mesmo tempo que estilo pessoal e já está virando o alfaiate mais requisitado do pedaço – também, parece que ele é o único com essas características mais ousadas. Diz-se que ele consegue transformar roupas em obras de arte e reescrever a elegância e a individualidade, harmonizando o passado e o presente. Gostei.

BeforeBeforeAfter

As Neo-Dalilas

A onda vai, a onda vem mas parece que agora é tempo de resgate dos cabelos longos – e mais exuberantes, até meio bagunçados. Eles estão por todo lugar, festas, revistas, redes sociais e há quem diga que a moda voltou como uma expressão de individualidade e poder – a cantora Beyoncé está aí para provar. A tendência ainda envolve o retorno ao natural, à versatilidade, à autoconfiança e tem até inspiração histórica – estilos icônicos das décadas de 1960 e 1970, com cabelos cheios e encorpados, têm influenciado a estética atual. Além de Beyoncé, Taylor Swift e Jennifer Lopez, são adeptas do cabelão, maravilhosas. Por aqui, em terras brasileiras, também tem alguns belos exemplos, todas que gravitam no mundo da moda e da beleza: a estilista Paula Raia, Catha Tamborindeguy, da loja Pinga, Ju Gastin, que faz bijoux incríveis, Mariana Prates, da Prasi, marca de joias, e a francesa Olivia Camplez, da loja Dominique Maison de Beauté. Elas têm a força!

Bravo

O tema não é novo, não tem ninguém inventando a roda, mas ver uma marca como a Zara convidando uma atriz de 67 anos para ser garota-propaganda mostra que sim, os tempos definitivamente são outros. Ela é Ángela Molina, conhecida por filmes como “Carne Trêmula”, do cineasta Pedro Almodóvar. Ángela é vista na Espanha como símbolo do envelhecimento natural, sem procedimentos e o tema está em alta no país: no fim de 2022, o Ministério da Saúde da Espanha lançou um campanha de conscientização para compreender o envelhecimento como mais uma etapa da vida e lutar contra qualquer forma de discriminação.

Nesta Semana Eu...

 Assisti ao último capítulo da novela "Vai na Fé" – que misturava o mundo funk com o mundo evangélico – e amei

 Estreei uma parceria com o Shopping Iguatemi no projeto Iguatemi Daily – falei sobre Freud e o Dia dos Pais. Ficou demais!

 Vou finalmente conhecer Inhotim, na festa Anoitecer, neste fim de semana – um monte de gente bacana também vai

 Assisti à série "Sequestro no Ar", com Idris Elba, na AppleTV, e achei muito boa, curta, inteligente

 Vi a cantora lírica Barbara Hendricks interpretando trechos de "Porgy and Bess", de Gershwin, no canal Arte 1 – luxo

 Experimentei os cremes Earlybird desenvolvidos por Dulce Horta: adorei e também amei as embalagens

 Soube que o estilista Tom Ford comprou a casa de veraneio onde Jacqueline Kennedy passava férias na infância, nos Hamptons: pagou 52 milhões de dólares —nada de muito grave para quem vendeu sua marca o ano passado por 2,8 bilhões de dólares

 Estou sonhando com uma Birkenstock modelo Boston, rosa bem clarinho, que eu vi no site dos Estados Unidos

 Fui ao encontro mega alto-astral e superelegante na casa da Ana Eliza Setúbal, para celebrar o projeto Oportunidade do Bem, que tinha uma mesa deliciosa de comidinhas e sanduichinhos e docinhos assinada por Mazzô França Pinto: eu não queria desgrudar de lá

 Eu vi que Madonna passou seu aniversário em Lisboa - com direito a passeio de barco à vela saindo de Cascais, drinque no Tejo Bar, seu prefeito, e com mais de cem velas perfumadas de gardênia no Palácio do Grilo. Ela também comemorou por lá o aniversário do filho Rocco, com jantar e festa na Casa de Linhares, no bairro da Alfama

 Descobri que Pinky Wainer vai iniciar mais um de seus cursos de aquarela e colagem, desta vez ao vivo, no Fome de Quê, de Aninha Gonzalez

 Estou me preparando para fazer meu primeiro talk na Casa Vivo, no Jardim Paulistano, com convidados na plateia e tendo como entrevistada a psicanalista Vera Iaconelli - vamos falar de homens, mulheres, pais e filhos e tantas coisas mais

 Fui jantar com amigas que eu amo e minhas irmãs, só mulheres, no Cora, em cima do Minhocão

 Encontrei o fotógrafo Maurício Nahas jantando sozinho no Le Jazz da Melo Alves com fones de ouvido, enquanto bebia uma taça de vinho e acompanhava uma aula de filosofia on-line

 Vou incluir na minha agenda para semana que vem a mostra "Arte dos mestres", que reconhece e celebra o trabalho dos melhores artesões do país

 Vou celebrar com a minha família os 96 anos de Dorinha, minha mãe: quer coisa mais linda do que isso?

 Escutei sem parar o novo álbum do Xande de Pilares cantando clássicos de Caetano Veloso. Uma melhor que a outra. Vale o play

Inclusão e empatia

Um ambiente de trabalho sem diversidade não faz sentido nos dias de hoje. Sempre achei que incluir pessoas com diferentes histórias de vida, culturas e habilidades pudessem trazer um resultado mais rico aos meus projetos. E foi por esse motivo que celebro e admiro o trabalho com imigrantes feito pela JBS. Já são 6,8 mil pessoas de diferentes nacionalidades nos escritórios da empresa aqui no Brasil e não dá para não aplaudir Fernando Meller, diretor-executivo de Gente e Gestão da empresa, ao afirmar que “somando conhecimentos de várias procedências, é possível ampliar a excelência do que entregamos”. É nisso que eu também acredito. Faz parte dessa iniciativa da JBS, que levou a empresa a participar do Projeto Acolhida, ação do Governo Federal que apoia imigrantes que chegam ao país, um centro de recrutamento em Boa Vista, Roraima, que junto com diversas ONGs, ajuda os novos colaboradores a se capacitar e a se integrar – há moradia e aulas de português para todos que precisam. Fernando conclui contando que “diversos colaboradores que ingressaram pelo projeto Acolhida reconstruíram suas vidas e estão seguindo carreira na JBS, inclusive indicando a empresa para outros imigrantes”. Mais relevante ainda é perceber que o processo de inclusão é feito com a ajuda dos colegas: os colaboradores mais antigos apadrinham os recém-chegados e os ajudam nessa nova fase de suas vidas.